Receba os novos posts pelo seu e-mail

domingo, 25 de dezembro de 2016

68. Perspectiva para 2017


Esta é a matéria de número 67 deste blog, que foi aberto após a posse do Michel Temer no cargo de presidente da República. Resolvi abrir este espaço para que os leitores encontrem aqui a alternativa da política econômica do governo Temer. Vejo equívoco enorme na matriz econômica defendida pela equipe econômica do Temer. 

Não tem sido fácil convencer a grande imprensa e os principais articulistas econômicos sobre os equívocos cometidos na formulação da política econômica e monetária que norteiam a "pinguela" do Temer para alcançar o suposto desenvolvimento econômico do País. Muitas vezes, sou censurado pelos leitores meus, de que deveria dar um "voto de confiança" à equipe do governo Temer, levando em conta que "herdou" a crise econômica do governo Dilma.

Na interinidade ou não, o presidente Temer está no posto há mais de 7 meses. O tempo deveria ter sido o suficiente para apresentar a saída da crise econômica, pois que mesmo antes da posse já apresentava o programa "uma ponte para o futuro". As medidas apresentadas até hoje, algumas já aprovadas e outras a serem aprovadas, embora sejam estruturantes, não mostram o caminho do desenvolvimento sustentável.

Desde as primeiras matérias estou numerando as matérias para facilitar a identificação num eventual fórum de discussão. Em várias matérias tenho mostrado que o desenvolvimento do País passa necessariamente pela política monetária sustentável que induza os capitais nacionais e internacionais investirem em setores produtivos. Quem tem o mínimo conhecimento da economia, sabe que o desenvolvimento sustentável do País terá que passar necessariamente pela "política cambial" e "política de juros" compatíveis com as que são praticadas pelos países desenvolvidos. Não é por falta de "instrumentos" que a equipe econômica não as põe em prática. 

Alguns conceitos que são adotadas e alardeados pela grande imprensa e pelos articulistas econômicos como "dólar baixo" e "juros altos" como solução para superar a crise econômica, vão na contra-mão do desenvolvimento sustentável. Pelo contrário, os indicadores mostram a "fragilidade" da política economia do governo brasileiro. Pelo contrário, a atual política monetária atendem apenas aos interesses dos bancos e "agiotas" nacionais e internacionais, agravando cada vez mais  a situação da dívida pública do País. 

Os leitores que quiserem se inteirar da "nova matriz econômica" proposta por este que escreve, terão que ter a paciência de fazer a leitura de cada matéria deste blog, que vai de 1 a 67. Difícil resumir 67 matérias em poucas linhas. Em complemento, poderão os leitores acessar ao meu e-book: Brasil tem futuro? . Recomendo a leitura para melhor compreensão do contexto.

O ano de 2017 não será nada fácil. 

Ossami Sakamori
@BrasilLivre



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Espaço reservado para expressão de livre pensamento, desde que obedecidas as boas regras de civilidade. Não permitimos o uso de palavras incompatíveis com o propósito deste blog.