Receba os novos posts pelo seu e-mail

domingo, 9 de abril de 2017

87. O povo vai tomar o Planalto!


É mentira de que o Brasil voltou a crescer. Tecnicamente, é considerado crescimento ou recessão quando  apresenta a mesma tendência por dois trimestres consecutivos. Isto tem um motivo justificado, o crescimento ou recessão pode ser camuflado com os efeitos sazonais da economia. É inacreditável que os melhores articulistas econômicos e a grande imprensa noticiam os poucos dados positivos da economia como o início da retomada do crescimento. Isto contradiz tudo que as faculdades de economia ensinam aos seus alunos. Ainda é muito cedo para dizer que o Brasil está retomando o crescimento. 

Mais do que os indicadores pontuais de setores favorecidos, como a indústria automobilística, há que considerar o crescente índice de desemprego e de desalentados. Os últimos números mostram que o número de desempregados cresceu para 13,5 milhões de trabalhadores. O setor de serviços sentem o reflexo desta situação econômica que já perdura há mais de dois anos consecutivos. As portas de comércio de ruas estão fechando, literalmente. Só não vê quem não quer.

Dentro do contexto, as pequenas e médias empresas é que sofrem com a situação. Justifico, as grandes empresas tem caixa para aguentar dois anos de mercado fraco. As pequenas empresas sequer tem caixa para enfrentar os compromissos do mês. As pequenas e médias empresas recorrem aos bancos para liquidar os compromissos vencíveis nos próximos 30 dias. As pequenas e médias empresas já não pagam os impostos e contribuições para poder pagar o salário dos seus empregados. Esta situação está criando o "efeito dominó". A situação de crise das pequenas empresas vai transferindo para outras de tamanho médio e assim sucessivamente.

A conjuntura política e a conjuntura econômica andam de mãos juntas. Impossível a situação econômica do País melhorar se estão para ser votados as reformas estruturantes como a previdência, trabalhista e tributária. Sem contar também com a reforma política, tão exigida pelos eleitores, diante de tantos desmandos. A agenda vai longe. As reformas requeridas vão atravessar o primeiro semestre e vão terminar somente no final do mês de setembro. 

A dificuldade da retomada do desenvolvimento é marcado também pelos julgamentos das ladroagens ocorridos, sobretudo, nos últimos 13 anos. O próprio Fórum Econômico Mundial associa o Brasil como campeão de corrupção do mundo. Lá fora, o Brasil virou piada da vez. Isto tudo, dificulta a reinserção do Brasil nos objetivos de investimentos diretos de países desenvolvidos. Para completar ainda, a Operação Carne Fraca revelou a "fragilidade" das inspeções dos órgãos sanitários aos produtos vendidos lá fora.

Isto tudo, a falta de credibilidade dos políticos e governantes já vem de muito tempo. Circula no mundo, a frase atribuída ao Charles de Gaulle de que "o Brasil não é país sério". Infelizmente, nós brasileiros, concordamos com a frase atribuída ao presidente Francês. O Fórum Econômico Mundial só veio confirmar a fala do presidente Francês, que tanto gostaríamos de ter argumentos para repugná-la. 

O governo é mentiroso. O presidente Temer é mentiroso. O ministro da Fazenda é mentiroso. Todos querem mostrar ao povo a situação que não é. O Brasil está no meio da pior crise econômica dos últimos 100 anos! Quem paga a conta é sempre o povo otário, no qual me insiro, com muita vergonha e indignação.  

O povo está com saco cheio! Uma hora, o povo vai tomar o Planalto, por puro instinto de sobrevivência. Depois não vem me dizer que não foram avisados. 

Ossami Sakamori


2 comentários:

  1. Eu, brasileiro otário, fico indignado toda vez que me lembro, ou sou lembrado por alguém, que nossos políticos não sossegaram enquanto a França não se desculpou das palavras de seu Estadista.

    ResponderExcluir
  2. Eu, brasileiro otário, fico indignado toda vez que me lembro, ou sou lembrado por alguém, que nossos políticos não sossegaram enquanto a França não se desculpou das palavras de seu Estadista.

    ResponderExcluir

Espaço reservado para expressão de livre pensamento, desde que obedecidas as boas regras de civilidade. Não permitimos o uso de palavras incompatíveis com o propósito deste blog.